Aumento recente dos combustíveis é inconstucional, diz estudo

por Vinícius Mendonça publicado 08/08/2017 15h17, última modificação 08/08/2017 15h17
O autor do estudo contestou a decisão de vários postos de combustíveis de repassar imediatamente o aumento para o consumidor.
Aumento recente dos combustíveis é inconstucional, diz estudo

Imagem da Internet

   Um estudo publicado pela Consultoria Legislativa do Senado contesta o último aumento dos impostos sobre os combustíveis, decretado pelo governo federal no dia 20 de julho. Intitulado "Por que se põe em xeque o recente aumento das contribuições sociais sobre combustíveis?", o estudo tem como autor Marco André Ramos Vieira, consultor na área de Direito Tributário e Financeiro.

   Em entrevista à Rádio Senado, ele afirmou que a majoração das alíquotas do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) é inconstitucional em pelo menos dois pontos: não deveria ter sido determinado por um decreto do governo - e sim por uma lei aprovada pelo Congresso Nacional - e não respeitou o período de 90 dias (noventena) para que entrasse em vigor.

   O consultor também contestou a decisão de vários postos de combustíveis de repassar imediatamente o aumento para o consumidor. "O PIS e a Cofins são recolhidos antecipadamente. O estoque existente foi adquirido sem o aumento. Incide o tributo no momento em que o posto renova o estoque", disse Marco André.


Fonte: Senado Federal

http://www12.senado.leg.br/noticias/audios/2017/08/aumento-recente-dos-combustiveis-e-inconstucional-diz-estudo

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis. Os comentários são moderados